Noticias

São Carlos paga R$ 192 milhões pelo Centro do Aço

O Estado de S. Paulo - SP - NOTÍCIAS - 01/03/2012

MARINA GAZZONI - O Estado de S.Paulo

A São Carlos Empreendimentos anunciou ontem a compra do imóvel do Centro Empresarial do Aço, em São Paulo, por R$ 192 milhões. É a maior aquisição já feita pela empresa. Com o edifício, a São Carlos passa a contabilizar 53 imóveis, avaliados em R$ 3,18 bilhões.

Construído nos anos 90 pela Fundação Cosipa de Seguridade Social (Femco), o prédio tem um design emblemático, que deixa à mostra suas estruturas metálicas. O imóvel está 100% ocupado e concentra escritórios de grandes empresas, como Usiminas e Banco Mercedes-Benz.

Segundo o diretor-presidente da São Carlos , Felipe Góes, o edifício interessou à companhia por três motivos: sua grande área locável (de 28.403 m²), a relevância das empresas locatárias e a proximidade com uma estação de metrô e com o Aeroporto de Congonhas.

"Será cada vez mais relevante para os nossos clientes ter seus escritórios próximo a hubs de transporte urbano", disse Góes.

Segundo a empresa, o imóvel está em bom estado de conservação e não precisará de reformas estruturais. Mesmo assim, a São Carlos entende que há espaço para valorização no aluguel. "Existem contratos que estão próximos de vencer e devem ser corrigidos", explica. Hoje, o valor médio do aluguel no edifício é de R$ 65/m² ao mês. Segundo Góes, esse valor está abaixo do preço de mercado, que seria entre R$ 70/m² e R$ 75/m².

Expansão. Desde 2010, a São Carlos investiu R$ 825 milhões em aquisições, a maior parte delas em São Paulo e no Rio de Janeiro. No ano passado, a empresa gastou R$ 183 milhões na compra de dois imóveis no Rio, o Centro Administrativo Cidade Nova e o Edifício Generali.

Segundo Góes, a empresa pretende fazer novas aquisições em 2012. A São Carlos possui uma capacidade de compra de ativos entre R$ 700 milhões e R$ 800 milhões - a estimativa considera o caixa da companhia e seu fôlego para alavancagem financeira.

A São Carlos se beneficiou do aquecimento do mercado imobiliário no Brasil. A empresa opera com vacância média de seus imóveis abaixo de 1% e viu seus ativos se valorizarem 26% entre setembro de 2010 e de 2011.

Para 2012, a expectativa é de que a vacância continue baixa, mesmo com a previsão de entrega recorde de escritórios corporativos no Rio e em São Paulo. Segundo relatório da consultoria Cushman & Wakefield, as construtoras planejam entregar 570 mil m² de lajes corporativas de alto padrão em 2012 na capital paulista, o equivalente a quase 30% da oferta atual. "Existe uma demanda reprimida por imóveis. A vacância deve se manter baixa", disse Góes.

A São Carlos é uma administradora de imóveis comerciais e sua renda vem do aluguel dos edifícios. A empresa foi criada em 1989, como um braço imobiliário da Lojas Americanas, mas hoje é independente da varejista.

Para acessar o PDF da notícia: clique aqui

Enviar a um Amigo